O presidente da Câmara de Oeiras, geminada com São Vicente desde a década de 1980, terminou hoje uma visita de três dias à ilha do Monte Cara, aonde veio para aprofundar e relançar a cooperação entre os dois concelhos.

Isaltino de Morais, que discursou na segunda-feira na sessão solene comemorativa dos 556 anos do achamento de São Vicente, confessou ter “germinado” na sua cabeça, no decurso dos três dias que permaneceu no Mindelo, “vários projectos” que poderão concretizar-se de agora em diante.

O autarca oeirense sustentou que nas últimas décadas “muito mudou, em Cabo Verde como em Portugal”, e, naturalmente, em São Vicente e em Oeiras.

Segundo Isaltino de Morais, tempos houve em que o cabo-verdiano era “estigmatizado” em Oeiras (Portugal), exemplificando com casos em que um homicídio cometido por um natural de Cabo Verde era ampliado pela imprensa local para dez, de modo a dar a entender que a maioria dos crimes tinha como autores cidadãos cabo-verdianos.

“O estigma já não existe”, garantiu o autarca, indicando que o relacionamento entre portugueses e a comunidade cabo-verdiana melhorou significativamente.

“Tenho orgulho enorme e muito carinho pela comunidade cabo-verdiana em Oeiras”, afirmou Isaltino de Morais, tido como “amigo especial de São Vicente”, ilha que ele visita há mais de 30 anos.

 Mindelo, 23 Jan 2018 (Inforpress)