Pela primeira vez temos um ministério sediado fora da capital, mas um ministério completo, não apenas um edifício. Representa aquilo que o governo projetou para São Vicente. Afirmou o Primeiro Ministro “ Estamos perante um país que tem mais mar do que terra.

Somos ilhas, somos oceano, pelo que há recursos por explorar, não só recursos que estão no mar, mas aquilo que o mar representa para todas as atividades, com um ...potencial enorme de desenvolvimento. Reparação naval, bunkering, formação, investigação e pesquisa, indústria conserveira, transhipment, desporto náutico, turismo.”
Porque escolher São Vicente ? “Esta decisão não foi tomada ontem nem anteontem. Foi muito amadurecida e fundamentada em todo o histórico da ilha. São Vicente tem tradição, história, e isso por si só justificavam a instalação. A tendência dos países é percorrerem os caminhos da sua história, não para construir uma retórica de nostalgia e sim para potenciar vivências de gerações e valorizar aquilo que se pode desenvolver dos conhecimentos que vão se acumulando. Portanto, São Vicente teve tempos áureos de transporte marítimo, operações portuárias, da logística, e toda uma economia à volta do mar, e, por isso, tem potencial para o desenvolvimento deste setor” (PM).