Em conferência de imprensa, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente reagiu ao adiamento da aprovação da proposta de regionalização apresentada pelo governo, salientando a importância de se reunir consensos que visam a sua aprovação na medida em que é um processo crucial para o desenvolvimento equilibrado do país.
Assim sendo, teceu duras criticas ao PAICV que não se preocupa com os objetivos do desenvolvimento do país ao relegar para o segundo plano a regionalização que constituirá sem duvidas uma viragem no modelo de governação do país ao possibilitar uma maior descentralização de competências, permitindo que cada ilha tenha possibilidades de explorar as suas potencialidades.
“Continuaremos a lutar duro e forte pela Regionalização e banir esses ingratos que só pensam no seu bem-estar pessoal e não no povo cabo-verdiano. Somos a favor da Regionalização porque temos a certeza que só haverá desenvolvimento no país com o governo regional. É mais um poder próximo das populações, que juntamente com o poder local, terá maiores possibilidades de resolver as grandes dificuldades da população e as assimetrias existentes”, referiu o presidente da CMSV.
Concluiu que é necessário um engajamento forte da população na defesa da regionalização, pois esta terá repercussões na qualidade de vida das populações, mas compreende que um partido centralizador como o PAICV terá dificuldades sempre em questões de descentralização.