Estação de Tratamento de Águas Residuais de Rª de Vinha, São Vicente

A estação de tratamento de águas residuais (ETAR) de Ribeira de Vinha, é composta por duas linhas de entrada de afluentes, o objetivo principal é de tratamento das águas residuais provenientes da rede pública dos esgotos da cidade e arredores de Mindelo para fins agrícolas.

O efluente da ETAR é utilizado na rega de parques e jardins da cidade e arredores e na agricultura conforme as espécies devidamente identificadas de acordo aos parâmetros analíticos.

A primeira linha de tratamento da ETAR (linha antiga) data de 1987, trata-se de um sistema por lagunagem, constituído por duas lagoas anaeróbias paralelas, uma lagoa facultativa, três, lagoas de maturação e uma lagoa de armazenagem. Atualmente, esta linha de tratamento da ETAR recebe o efluente da cidade do Mindelo, que é elevado por quatro estações elevatórias da cidade (Comando Naval, Caizim, Campim e Rª de Julião), com um caudal médio total de cerca de 1700 m3/dia (20 l/s), isto é, 22 000 habitantes equivalentes em termos de caudal, se assumir uma capitação média de água de 80 l/(hab/dia).

Em 2007 procedeu-se à ampliação da ETAR, com a construção de uma segunda linha de tratamento (linha nova), constituída igualmente por duas lagoas anaeróbias, duas lagoas facultativas e quatro lagoas de maturação. Essa segunda linha recebe, os afluentes da zona do Lazareto e da conserveira FRESCOMAR após o pré-tratamento na ETAR privada.

Ambas as linhas de tratamento possuem uma obra de entrada, com uma caixa de receção de afluente e um canal Parshall, o tratamento preliminar, nomeadamente a remoção de gradados, que é efetuado em cada estação elevatória. No interior das instalações da ETAR existe ainda uma estação elevatória, para fornecimento da água residual tratada da ETAR até aos reservatórios situados no perímetro agrícola de Ribeira de Vinha, e um laboratório para análises físicas, químicas e bacteriológicas.

 

ETAR de Ribeira de Vinha

 

Laboratório da ETAR de R.ª de Vinha