A Câmara Municipal iniciou os trabalhos preparatórios, de estudo e preparação do regulamento de Toponímia, em 2014, tendo iniciado a colocação de autocolantes em 2015, mais precisamente no bairro de Monte Sossego, por forma a que a população fosse adaptando-se aos novos números de porta.

A montagem das placas toponímicas com o número de polícia iniciou-se em 2016, tendo sido colocados cerca de 740 placas. Durante o ano de 2017 esses trabalhos tiveram uma quebra, devido ao projeto cadastro predial mas neste momento está-se a preparar a retoma dos trabalhos com continuidade de montagem de números de porta, ainda, no bairro do Monte Sossego

Sendo um projeto ambicioso e que requer a disponibilização de custos significativos, sem a parceria de empresas, que também beneficiam do mesmo, fica difícil o suporte somente por parte da Câmara Municipal. No entanto este Município tem feito um esforço para levar avante este projeto, dado aos benefícios que traz para a ilha a para a sua população.

Para além do seu significado e importância como elemento de identificação, orientação, comunicação e localização dos imóveis urbanos e rústicos, a toponímia é também, enquanto área de intervenção tradicional do poder local, reveladora da forma como o município encara o património cultural.

 

Serviços municipais de Toponímia

 

Objetivo

Elaboração e divulgação de uma base de dados de toponímia, que pela sua importância cartográfica, estatística, histórica, cultural e linguística, constitua uma ferramenta importante na gestão, ordenamento e planeamento na ilha de S. Vicente.

A Câmara pretende produzir uma toponímia e numeração de policia (número de porta) que seja inequívoca, estável, permanentemente, atualizada e monitorizada, visto que a cidade está em expansão, com acréscimo dos bairros habitacionais, e para que nestes as diferentes tipologias de vias urbanas (ruas, avenidas, travessas, largos, travessas, praça e pracetas) estejam devidamente identificadas com as placas toponímicas.

 

O Objetivo Final

  • Contribuir significativamente para o ordenamento e planeamento do território municipal,
  • Produção de mapas completos e atualizados de S. Vicente, de modo que seja implementado o uso do GPS futuramente, possibilitando deslocar-se com a ajuda do mesmo, pois o crescimento urbano bem como a aposta no Turismo para a economia da ilha, implica que o nosso Município acompanhe o panorama mundial da informação e comunicação originado pelas transformações nos avanços tecnológicos.